Os bairros de Londres: um pequeno roteiro para se situar

Amo e admiro Londres por diversos motivos, mas um dos principais é sua absoluta pluralidade, infinitas opções, mistura de estilos, uma cidade onde você realmente pode ter experiências completamente diferentes só de “viajar” de um bairro para outro. Então achei que valia fazer um pequeno roteiro para se situar entre seus muitos bairros legais de explorar, antes de começar com meus (vários) posts de dicas da cidade – aguardem restaurantes favoritos & bares e pubs favoritos entrando em seguida!

Londres é uma cidade gigante e que nunca estaciona, há sempre um novo bairro para se descobrir, uma área da cidade que é revitalizada por conta de uma nova atração, enfim, parece mil cidades em uma! Nesse leque, há bairros bem diferentes entre si, e eu acho legal entender essas diferentes vibes na hora de escolher o que você quer explorar, ou até de pensar no look. Porque é um fato: dá para se vestir do jeito que você quiser em Londres, mas um traje de gala em East London ou jeans rasgado e tênis para jantar em um restaurante badalado de Mayfair às vezes não dá match (seria mais o contrário!)

Mayfair, Chelsea, South Kensington, Knighstbridge costumam ser mais arrumadinhos, East London é mais descolado (Shoreditch, Hackney, Islington, Angel), bem como Camden e Brixton. Já Soho, Covent Garden e Notting Hill são mais neutros. Só para citar alguns dos muitos bairros de Londres. Abaixo falo um pouquinho mais sobre eles, e em breve aqui no Além da Beauté vou compartilhar também um resuminho de dicas de passeios em Londres focado nos bairros, porque cada um deles é uma atração à parte!

Soho: o tempo passa, mas o Soho londrino segue agitado, cheio de bares, restaurantes, teatros, lugares alternativos, atrações LGBT+… É mais turístico porque é muito famoso, mas se você quer diversão e não sabe onde ir, aqui não tem erro. Estilo neutro vale tudo. Sempre brinco com meu marido que se estamos achando Londres meio quieta, só ir pro Soho para reencontrar a bagunça haha.

Covent Garden: colado no Soho, também tem muitas opções de bares e restaurantes e, por ser mais turístico, também tem um estilo vale tudo. 

Holborn e Clerkenwell: são bairros perto do Soho, mas que deram uma bombada mais recentemente – então você acha muita coisa legal, mas mais novo e, portanto, mais descolado. Porque em Londres é meio assim: os modernos e os jovens vão sempre migrando para os lugares mais novos!

Kings Cross: era um bairro sem grandes atrações, mas depois da MEGA revitalização e construção do Coal Drops Yard e muitos prédios e espaços de loja, mudou total. A famosa escola de moda Central Saint Martins realocou pra cá um tempo atrás e ninguém entendeu nada, mas agora faz sentido, a área está demais. O canal é um bônus especial, com alguns pubs e restaurantes na beira, super vibes.

Mayfair: movendo para um bairro bem mais posh, o termo que eles usam para o que melhor defino como: perua. São os restaurantes mais bling, se estiver afim de se arrumar é um dos melhores lugares. Tem também as lojas mais chiques ao longo da Bond Street, e alguns dos lugares mais tradicionais de Londres estão aqui. Então não é só bling, é uma coisa mais “chiqueza inglesa”.

Knightsbridge: bairro muito famoso por ser o lar de dois dos melhores museus – Victoria & Albert e Natural History – e também onde fica a Harrods. Logo embaixo do Hyde Park, aqui é uma chiqueza mais internacional, muito popular entre os árabes. Tem ótimos restaurantes e também lojas mara, e o estilo é mais arrumadinho.

Chelsea e South Kensington: onde fica a icônica Kings Road, que era o point dos jovens rebeldes dos anos 60. Hoje também ficou mais arrumadinho, são bairros fofos demais e com pegada residencial, mas com comércio.

Belgravia e Pimlico: vizinhos de Chelsea / Knightsbridge, mas menos conhecidos, tem coisas fofíssimas para explorar, tipo a Elizabeth Street.

Notting Hill: esse não precisa de muita apresentação né, costuma estar na lista de todos os turistas londrinos por causa do filme e do mercado de rua Portobello Market. Com certeza um lugar imperdível para visitar, diria que de vibe bem neutra em termos de estilo também. 

Marylebone: um bairro que não é tão conhecido, foi ficando mais com o tempo, daqueles bairros “entre bairros mais famosos” que não eram tão explorados, mas é super legal. Ficou mais famosinho depois que o hotel Chiltern Firehouse abriu ali, e tem uma High Street (a rua principal dos bairros, onde tem comércio, restaurantes, cafés etc) foférrima e cheia de lojinhas legais. Fica colado em Mayfair, mas é bem menos “esnobe”.

Hampstead: uma joia na cidade, não tão central, mas longe de ser distante, e parece que você chegou num vilarejo do interior. Tenho o maior apego por essa área! É mais família, tem mais ingleses, super vale o passeio.

Shoreditch: agora entrando nos bairros mais descolados, Shoreditch foi o primeiro point de East London que entrou na rota do turismo há uns 10 anos atrás – mais ou menos na vibe do Meatpacking District de Nova York há mais tempo, que era uma área mais suja e sem muitas atrações, porém bem mais acessível que o centro de Londres, e aí atraiu a comunidade criativa que renovou totalmente as redondezas. Hoje Shoreditch já é considerado turístico, já ficou bem mais caro e muita gente mais jovem já não está por lá, mas é demais para passear! Alguns pontos bem famosos são o Old Spitafields Market e a Brick Lane.

Islington / Hackney / Bethnal Green / Dalston: parte do “rolê” East London, são os points onde tudo de mais novo e descolado acontece – justamente por conta desse movimento do pessoal criativo. São bairros menos “Londres cidade perfeita fofinha limpinha”, mas justamente o que torna a cidade TÃO incrível e rica e diversa!! Fundamental incluir pelo menos um dia ou tarde / noite para passear pelo East numa viagem para Londres.

Camden: era o mais descolado antes do East bombar, ainda tem bastante coisa legal, mas acabou ficando mais turístico!

Brixton: também na seção descolada, mas fica no sul de Londres. É onde os jovens vão para sair, e tem muitos locais também. Coisas bem legais para descobrir, mas é do tipo que precisa de uma pesquisa prévia para saber onde ir!

Bermondsey: também fica para baixo do Rio Tâmisa, mas uma região bem mais conhecida por ser o endereço do museu Tate Modern e do Borough Market, mercado de comida que é super legal. Mas vejo muita gente que vai lá e não explora a parte de trás, que é a simpática ruazinha Bermondsey Street. Tem bastante gente das artes por aqui, e também bastante locais!

BOM, por hora é isso. Com certeza deixei lugares de fora, porque como falei Londres é enoooorme e um post completo nunca vai existir. Mas espero que ajude a dar o clima e preparar vocês para os conteúdos de Londres que entrarão a seguir!