Raio-x da mala de Jaipur: os looks que usei na viagem

Adoro pensar em um moodboard quando faço minhas malas de viagem. Às vezes tiro da minha cabeça, outras me baseio no evento / lugar que eu estou indo visitar – não é algo imprescindível, mas acho que ajuda muito a pensar nos looks. Como recebo muitas perguntas de vocês sobre como fazer mala / como pensar em looks de viagem, aqui vai um “raio-x” da minha mala para Jaipur, na Índia.

Nessa viagem (conto mais sobre ela neste post aqui) com a Clinique, o tema era Pink Oasis, então a marca sugeriu para alguns dos eventos o uso de roupas em tons de rosa (assim como foi na viagem do México do ano passado, relembre aqui).

Além disso, eles avisaram que teríamos muitas oportunidades diferentes para tirar foto ao longo do dia e também um intervalo para nos trocarmos. Eu nunca faço isso, sempre levo um look para o dia e um para a noite, mas aproveitei a oportunidade para levar dois looks para o dia e tirar vááárias fotos nos cenários lindos que eles nos levaram, sem dar aquele problema em viagem que é: mil fotos, mil momentos, todos com a mesma roupa. Quem nunca!

Me joguei total no tema da viagem e levei algumas das peças rosas que tenho no meu guarda-roupa – que curiosamente são muitas, entre roupas e acessórios. Completei com itens de cor clara para usar nos dias de fazer turismo. Importante, tem que ser tudo muito leve e fresco e ao mesmo tempo que não mostre muita pele.

Fomos para Jaipur em uma época do ano que já é super quente, então tínhamos esse desafio de nos vestir em uma temperatura de mais de 40 graus sem morrer de calor. Além disso, a Índia é um país bem conservador, e não é adequado sair em público com roupas nem muito curtas, nem que mostrem muito colo / braços. Dentro dos hotéis o esquema é mais tranquilo, mas é preciso ter cuidado na rua e em pontos turísticos para respeitar a cultura local. Então, com base nisso tudo, cheguei nestes looks que vocês podem ver abaixo.

Para o welcome drink, que foi no nosso hotel mesmo e já tinha um cenário todo Pink Oasis, usei um vestido rosa hiper antigo da H&M. Ele é um pouco mais curto e de alcinha, mas não tem problema porque a gente estava ali no ambiente do hotel.

Para fazer turismo no primeiro dia, optei por um conjunto fofo & confortável de calça jogging com tecido mais arrumadinho, mas fresco, e uma camisa rosa bem levinha, ambos da Amaro, que tenho há mais de um ano. De tarde, fomos tomar chá no jardim de um hotel mega lindo. Usei um vestido de linho branco, também de alcinha, mas fui tranquila por ser dentro de hotel, e aproveitei para estrear a minha bolsa nova da Chanel que, por coincidência, é rosa. Detalhe: em todos os momentos que usei roupas que mostrassem o ombro, levei um lenço bem levinho caso precisasse me cobrir.

À noite nesse mesmo dia, usei um vestido lilás da Framed, marca do Gallerist, porque quando entrei no Instagram do Caffé Palladio, restaurante onde iríamos jantar, achei que ele combinava perfeitamente com o cenário. (Não reparem que a foto foi feita de dia, porque achei o ambiente tão lindinho que voltei lá com a mesma roupa para fazer fotos com uma luz melhor haha).

No dia seguinte, começamos bem cedo para passear em alguns dos pontos turísticos mais famosos da cidade. Aí escolhi um vestido branco de algodão levinho, mas mais longo e que cobre o ombro – talvez vocês se lembrem desse vestido, uma camisola dos anos mil novecentos e bolinha que encontrei em um brechó em Firenze. Também usei nesse dia usei uma faixa / turbante da Aperse.

Para a atividade da tarde, um almoço seguido de um momento na piscina do hotel Sujan Raj Mahal Palace, usei um look com um toque vintage que achei que combinava com o ambiente retrô: saia da Topshop que tenho há milênios e camisa de manga curta com um tecido bordado com flores rosas da Sussan Shokranian.

E a viagem terminou com um super jantar tradicional no qual o dress code era sari, o traje formal indiano, ainda usado em casamentos e cerimônias (muitas mulheres indianas inclusive usam o sari no dia a dia mesmo). Foi uma experiência incrível escolher o sari junto com as influencers indianas, que ficaram contando várias curiosidades e tradições da roupa, e depois ser vestida por uma especialista. É uma verdadeira arte amarrar um sari e seria totalmente impossível fazer sozinha! Achei maravilhoso poder experimentar essa tradição tão especial. Além do sari, os acessórios eram incríveis – fiquei apegadíssima ao que usei na cabeça!

De sapatos, só levei sandálias rasteiras, 3 diferentes que adoro e são ótimas para usar em lugares quentes, mas que também aguentam algumas horas andando por aí. Uma marrom da Zara, uma prateada da Botti que é super arrumadinha e uma de camurça rosa da Blue Bird.

Gostaram desse formato de post contando mais detalhes sobre minha escolha dos looks? Posso fazer mais vezes, porque sempre tem alguma historinha por trás das minhas malas hehe!